Caco Barcellos

O repórter e escritor Caco Barcellos tem 40 anos de experiência na cobertura de assuntos relacionados com a injustiça social e a violência.

Desde os primeiros passos na profissão nunca se afastou da reportagem de rua, sempre em contato direto com as pessoas mais simples da sociedade brasileira.

Atuou por dez anos no jornalismo impresso. Passou pelas redações dos grandes jornais do país e pelas revistas semanais de informação, Isto É e Veja.

Na televisão, se especializou na produção de grandes reportagens investigativas para a editora Abril e para a Rede Globo de Televisão. Repórter especial de TV desde 1984, fez parte das equipes do Jornal Nacional, Fantástico e Globo Repórter.

Por sete anos foi correspondente internacional, com bases em Nova Iorque, em Paris e em Londres.

Desde 2008, atua como repórter e diretor do programa semanal Profissão Repórter, em que lidera um grupo de jovens jornalistas.

 

OBRAS LITERÁRIAS:

 

Caco Barcellos é autor de três livros, romances de não ficção:

1)  A Revolução das Crianças – livro de aventura sobre a guerra civil da Nicarágua, escrito a partir de sua vivência com os meninos guerrilheiros nas frentes de combate.

2) ROTA 66, a história da polícia que mata – é o resultado de sete anos de pesquisa, que levou a identificação de 4.200 jovens negros e pobres, mortos na periferia de São Paulo pelas patrulhas das Rondas Ostensivas Tobias Aguiar. O livro revela quem são os 20 maiores matadores da história da polícia brasileira.
3) ABUSADO – um relato de 600 páginas sobre os bastidores das ações de um grupo de traficantes do Comando Vermelho, baseado em um morro da zona sul do Rio de Janeiro. O livro mostra em detalhes como funciona uma boca de cocaína ; os romances, a falta de pai nas famílias, os combates diários com os inimigos e a vida curta dos jovens da indústria do pó e da maconha.

 

PREMIAÇÕES

Caco Barcellos é o terceiro jornalista mais premiado de todos os tempos, segundo ranking do grupo Jornalistas & Cia.

Recebeu o Troféu Especial das Nações Unidas, conferido aos cinco jornalistas que mais se destacaram na defesa dos direitos humanos, nos últimos 30 anos no Brasil.

Por cinco vezes foi eleito, pelo site comunique-se, o melhor correspondente internacional e melhor repórter da TV brasileira.

Duas de suas obras, ROTA 66 e ABUSADO receberam o Prêmio Jabuti, de melhor livro de não ficção do ano de seus lançamentos.

Palestras

  • Como gerir equipes com sucesso (alusão ao seu comando no Programa Profissão Repórter)
  • Como gerenciar crises (tema baseado em sua experiência jornalística com cases)
  • Problemas Sociais da atualidade: violência, ética, educação, cidadania.
  • Temas ligados à comunicação de forma geral.
  • Empreendedorismo: Palestra com titulo “Profissão Empreendedora” – Informações sobre sua carreira, erros e acertos, lutas e vitórias, instigando o público a ser persistente e empreendedor. Em sua trajetória é sempre acompanhado de palavras como: persistência, ética, verdade, trabalho, respeito. Palavras que o tornaram um profissional de tanto sucesso, um empreendedor nato!
  • Os Bastidores da Conquista – A palestra é centrada no olhar de um repórter testemunha dos principais acontecimentos associados as injustiças sociais das última décadas no Brasil. São 40 anos de cobertura de protestos, rebeliões, de levantes guerrilheiros, de tiroteios entre policiais e supostos criminosos, de investigações sobre corrupção e fraudes financeiras, de guerra civil não declarada entre trabalhadores urbanos. Tudo registrado em documentários de TV, alguns deles exibidos na palestra como reforço da narrativa.A palestra contempla curiosidades dos bastidores da produção de livros e das reportagens de risco e aventura da TV. E mostra o privado da vida do repórter, suas origens e suas motivações, fundamentos que ajudam a entender a técnica e a coragem do enfrentamento dos desafios da profissão.
  • Trânsito urbano –  A palestra mostra a necessidade de ter profissionais de trânsito mais qualificados, comprometidos com os desafios que o mundo, moderno e desenvolvido, exige; além de aprofundar os conhecimentos de uma ética que esteja em sintonia com um trânsito mais humanizado; aborda, a partir das pesquisas e vivências no cotidiano, a estrutura e a  visão urbana do trânsito no Brasil; Caco fez diversas reportagens sobre o tema, algumas abordando a violência, outras sobre a vida dos motoboys e também sobre o caos da hora do rush. Como curiosidade, além de ser de uma família de caminhoneiros, por cinco anos foi motorista de taxi e nunca abre mão de dirigir as viaturas nas reportagens que faz pelo mundo.

Principais Temas

  • Trabalho em Equipe
  • Cidadania Empresarial
  • Jornalismo
  • Comunicação
  • Empreendedorismo
  • Relações Humanas
  • Ação Social
  • Tomada de Decisões
  • Desenvolvimento de Equipes
  • Debate de Idéias
  • Excelência Profissional
  • Determinação
  • Violência

 

TOP